Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.

Já dizia Caetano. Você está, você é. Você faz, você quer, você tem.

E confesso que, às vezes, em dias como hoje, eu gostaria de não ser quem eu sou. Penso que seria muito menos doloroso (e talvez menos delicioso também) querer o que a maioria das pessoas querem: Um emprego perto de casa, uma casa pra voltar todos os dias depois do trabalho, um carro pra ir e voltar de onde eu bem entendesse e alguém pra chamar de meu (amor) que me recebesse com um sorriso, uma taça de vinho e me aninhasse no sofá depois de um dia difícil, como o de hoje. Sério, eu bem queria ser esse tipo de pessoa com esse grau de normalidade nas aspirações de vida.

Mas só em dias como hoje.

Acontece que hoje eu literalmente entendi o que Caetano quis dizer com “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”.

Como bem sabem, tenho feito algumas escolhas consideradas pela maioria como “coisa de gente sem juízo”. (Se não sabem, é só clicar aqui e aqui para se inteirar do assunto. Caso não queira se inteirar, já lhe adianto o spoiler de que estou indo trabalhar em navios de cruzeiros). Escolhas que parecem estar na contramão de todo o resto do sistema. Coisa de gente maluca e alma desassossegada que não aguenta o tranco da rotina e normalidade oferecidas de bom grado pela sociedade, cruzam os braços na frente do peito e exclama sem medo: “Não é isso que eu quero não!”

1460127_1438275803062511_63256988_n

Eu precisei ter alguém com quem poderia casar para descobrir que não queria casar. Eu precisei ter condições financeiras para comprar um carro para perceber que eu não queria possuir coisas. Nem carro, nem apartamento, nem nada. Precisei estar profundamente comprometida em um emprego normal pra me dar conta de que meu espírito precisava de algo mais fora do padrão. Precisei morar na mesma cidade todos os meus 23 anos para então perceber que eu não conseguiria criar raiz aqui.

large

O problema aqui não é a percepção de tudo isso. É maravilhoso saber que descobri cedo o que eu quero de verdade e ter a coragem de ir em busca dos meus sonhos. De assumir pra mim e pro mundo quais eram minhas reais aspirações, de me preparar para a nova empreitada e de receber um email com a data do meu embarque e chorar de felicidade com a rota do navio. (Que sim! Vai passar lá pela Alemanha. <3).  De descobrir que será a primeira vez que este navio estará em águas brasileiras, assim como será minha primeira vez em águas internacionais. Uma troca justa, eu diria. Só eu sei a delícia que é ser eu nessas horas em que tudo se encaixa, tudo fica cada vez mais concreto, mais real. É delicioso.

MSC_SPLENDIDA

Por outro lado, só eu sei a dor de renunciar à tudo que eu amo e que por, complexas questões de logística, eu não posso simplesmente colocar dentro da mala e levar comigo. Quando eu me apaixono e não me envolvo por não querer deixar meu coração aqui quando eu partir (nem levar o coração de ninguém comigo). Quando não faço planos à longo prazo, como comprar ingressos para o show do Pearl Jam. Quando tenho que escolher quais livros da estante vão comigo mesmo querendo levar todos. Quando faço as contas e percebo que passarei o Natal longe da minha família e no aniversário da minha mãe estarei longe de casa. Quando a notícia da minha partida faz meus amigos chorarem ao telefone. Quando o medo aperta o peito. Quando o sentimento é tão confuso que prefiro a solidão e o falso conforto da minha cama no lugar de qualquer outra coisa. É doloroso.

10898307_1526775034259404_4748110402762484655_n

É um esquisito paradoxo: Aquilo que me faz mais feliz no momento é também o que me deixa mais triste e me faz chorar em dias como hoje.  Já dizia Caetano: Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Você está, você é. Você faz, você quer, você tem. E confesso que, às vezes, em dias como hoje, eu gostaria de não ser quem eu sou.

Mas só em dias como hoje.

salto

Anúncios

Um pensamento sobre “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s